Cultura Organizacional, a arte de cultivar um conceito!

Falar sobre Cultura é falar sobre identidade, como somos vistos pelas outras pessoas quanto ao nosso conhecimento, arte, crença, lei, moral, costumes e todos os hábitos e aptidões. Nos últimos anos temos passado por uma mudança grande na sociedade. Não vejo essa transição com maus olhos, pois faz parte da evolução humana descobrir novas formas de fazer o que precisa ser feito. Algumas coisas permanece no mesmo estado só alterando a “embalagem”, outras são inovadoras e nos levam para uma nova rotina, com novas descobertas. E se a nossa rotina foi modificada, as organizações também serão impactadas e terão que se adequar, já que o principal pilar de uma empresa são as pessoas. Então vamos aprofundar esse assunto abaixo.

Cultura Organizacional surgiu no século 18, mas só foi associada a empresas na década de 50. O nome Cultura Organizacional se refere a hábitos, crenças, valores e comportamentos praticados e compartilhados em um ambiente de trabalho, definindo assim os valores e a identidade da empresa perante a sociedade, ou seja, como apresenta a forma de pensar e agir diante de seus colaboradores e clientes. A seguir vamos entender como é composta a Cultura Organizacional.

A Cultura Implícita esta presente quando abrimos uma empresa e começamos um negócio. São as “leis” informais e invisíveis ( o que aquele pequeno grupo de pessoas sabem que podem fazer e o que não podem fazer no ambiente de trabalho), são o que sentimos, pensamos a respeito do que é valor para empresa. Ela nasce com a empresa e pode ser mantida, com importância e cuidado. Mas com o passar do tempo e de acordo com a evolução e o crescimento da empresa, contratamos mais pessoas (muitas com valores diferentes da empresa, pois precisamos é do conhecimento né?!), criamos novas áreas e vem a necessidade de se ter políticas, normas, documentos, processos para “manter” a evolução do trabalho. Nesse momento começa a surgir a Cultura Explícita na empresa, pois é quando temos consciência de que crescemos e que precisamos de mais pessoas e mais ferramentas para suportar o avanço e continuar o crescimento.

A grande questão é que justamente quando a empresa cresce, na maioria das vezes, perde-se um pouco, quando não muito, da cultura de quando começou. É comum visitarmos empresas e ouvirmos colaboradores dizendo: “era muito melhor no início, quando tinhamos apenas 10 pessoas”! Também é comum que quando a empresa cresce desordenadamente, funcionários bons, que estavam desde do início, esperavam crescer junto com a empresa, serem valorizados e que carregariam os valores e a cultura, pedem demissão por verem desorganização e privilégios a novos colaboradores, que se quer tem o perfil ou conhecimento para trabalhar no mesmo ambiente. Isso é mais comum do que você possa imaginar e muitas empresas perdem os melhores colaboradores justamente por não valorizar quem ajudou a construir a organização. Precisamos ter muito zelo, tanto com o crescimento, quanto a mudança de valores e comportamentos, da empresa e do colaboradores (antigos e novos)!

Então, como devemos tratar mudanças na Cultura Organizacional ???

A mudança de cultura se faz necessária para buscar melhores resultados, renovar ou inovar a organização. Mas é importante lembrar que deverá ser feita aos poucos com auxilio dos líderes e superiores, com ações de curto, médio e longo prazo, todos engajados! De preferência com a ajuda de um consultor externo experiente para orientar e auxiliar, pois tem uma visão apurada dos problemas internos e não tem vinculo empregatício e/ou emocional com a empresa.

E quando a mudança de cultura pode ocorrer?…

  • Quando temos uma cultura fraca e não representativa;
  • Quando ocorre mudança de líderes;
  • Quando há uma crise séria que coloca em check a cultura atual;
  • Quando a empresa é vendida e incorporada a um outro grupo maior, que já possui uma cultura;
  • Quando a empresa possui filiais em outros estados ou países, se adaptando aos habitos locais.

Além disso, numa transição cultural devemos contar com o uso de agumas ferramentas importantes, para nos ajudar durante esse período. São elas:

Por último, gostaria de dizer que não existe material de mentoria (bula com passo a passo) de como construir uma Cultura Organizacional, ou como mudar a cultura de uma organização. Existe no mercado muitos livros que falam sobre esse tema, que somados a boas práticas e a experiência de anos trabalhando dentro de corporações, vão te dar discernimento para fazer o necessário.

É importantissimo lembrar, que cada empresa possui a sua cultura, seus hábitos, crenças, valores e comportamentos! Não tem como copiar e colar! É preciso entender a cultura, sentir, agir e adaptar… isso demanda muita observação, percepção, engajamento de líderes e superiores, planejamento e principalmente tempo!

Bom, o post de hoje foi para alertar a todos que são empresários e colaboradores da atenção, que é preciso ter, com a cultura da empresa, pois ela pode beneficiar a todos ou se tornar tóxica, podendo até levar a falencia. Falar de cultura é falar de pessoas. Os valores pessoais de seus colaboradores tem que bater com os valores corporativos de sua empresa. Esses valores podem mudar ao longo do tempo. Por isso que os líderes têm que acompanhar a evolução da carreira de seus colaboradores, para ter a percepção da evolução e poder agir em prol da inovação e da melhoria. Do contrário, a empresa perderá pessoas, conhecimentos, cultura e clientes. Fique atento! É melhor previnir do que remediar 😉

Caso queira assistir essa palestra on line, ela foi realizada no evento QCon Rio 2015 e esta disponível! Basta clicar aqui e assistir na íntegra!

Espero que o meu post ajuda as pessoas e as empresas 🙂

Até mais!

,

Deixe uma resposta